O corpo fala e tentar esconder pode ser pior…
o corpo fala meu estudio

É. O corpo fala e às vezes não dá pra controlar. E o menino taiwanês de 12 anos que fez um buraco no Paolo Porpora de mais de 300 anos aprendeu isso na prática. Assista ao vídeo:

Essas imagens foram divulgadas à exaustão nos últimos dias e você certamente já se cansou delas. Contudo, mais além do furo – sanado por restauradores competentes e sem consequências financeiras para o garoto e sua família –, vamos prestar atenção na reação física do jovem.

Antes de tropeçar, tudo certo. Depois de tropeçar, o nervosismo. Consciente do que fez, pode ter pensado “se fingir que nada aconteceu, nada aconteceu”. Mas, também consciente de que essa não teria a mínima chance de colar, ele olha em volta para saber se mais alguém viu o se passou.

Milésimos de segundos depois, resignado, ele simplesmente para, coloca a mão no bolso e dá pinta de que, qual alguém pego dirigindo embriagado, não vai gerar provas contra si próprio, mas que também não vai negar se alguém tomar a iniciativa de perguntar o que aconteceu. E é o que a moça e colete azul faz antes de tira-lo de cena.
Isso para dizer que não importa o que esteja pensando, seu corpo vai reagir de acordo com as emoções que estiver sentindo. É normal.

Guardadas as devidas proporções, em uma apresentação, frente a uma plateia que está julgando tudo o que você diz, isso também acontece. Mas, diferente do menino, o seu propósito ali é outro. Conhecer intimamente o assunto sobre o qual está falando é o mínimo que podemos fazer para contornar – cada um à sua maneira – o nervosismo na hora de apresentar alguma coisa. Ter um material de apoio adequado também, e disso nós entendemos 😉

Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>